Artigos

Enquanto está no Egito, Lula afirma que o Conselho de Segurança da ONU deveria promover a paz em vez de incitar o conflito

Imagem: Ricardo Stuckert

No Cairo, o Presidente Lula defendeu uma mudança na governação global, criticando o modelo existente do Conselho de Segurança da ONU por dar atenção especial a um pequeno número de Estados.

Ele sustentou que era essencial garantir que as nações em ascensão tivessem representação suficiente e abolir o poder de veto.

Lula sublinhou a necessidade de os membros do Conselho serem pacifistas e não beligerantes, citando a recente incapacidade da ONU de prevenir guerras, como as invasões da Líbia e do Iraque, a guerra na Ucrânia e o conflito Israel-Faixa de Gaza.

 

Tensão na Terra Santa

O Presidente Lula fez comentários sobre a crise entre Israel e o Hamas em outubro de 2023, criticando o desrespeito de Israel pelas decisões da ONU.

Em Outubro, o Hamas começou a atacar Israel, fazendo reféns e causando mortes.

Em retaliação, Israel bombardeou Gaza e cortou o abastecimento, o que resultou em vítimas adicionais e deslocamentos. O Brasil é a favor do estabelecimento de um Estado Palestino e de um cessar-fogo.

Ao denunciar os ataques do Hamas como actos terroristas, Lula questionou a morte de civis por Israel.

Ele expressou preocupação com o desrespeito de Israel pelas decisões da ONU e questionou a eficácia da ONU em evitar guerras.

O Brasil pretende discutir as decisões tomadas por organizações internacionais na qualidade de presidente do G20 até dezembro.

 

Fonte: AcheiUSA

 

Encontrou algum erro no artigo? Avise-nos.

Avalie a post

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *