Artigos

Tem dificuldades com os phrasal verbs? Veja dicas definitivas sobre eles

phrasal-verbs

O que são os phrasal verbs?

Se você é iniciante no aprendizado da língua inglesa, certamente já ouviu falar desses verbos, talvez já até saiba do que se tratam: os phrasal verbs são verbos acompanhados de uma ou mais partículas, como uma preposição ou um advérbio.

Isso faz com que você, sempre ao conjugá-lo, precise também incluir essa(s) partícula(s); do contrário, sua frase terá um sentido incompleto e pode soar incompreensível!

Muitos cursos de inglês e mesmo professores de inglês nas escolas de Ensino Fundamental e Ensino Médio costumam orientar os alunos a memorizarem uma longa lista com os phrasal verbs mais usados no inglês cotidiano.

Embora essa seja uma opção prática para quem tem boa capacidade de memorização passar nos testes, esse processo de “decoreba” acaba sendo infeliz para quem de fato precisa se comunicar com um nativo em tempo real, durante uma conversação, porque não há tempo para recordar de uma longa lista no meio de um bate-papo, né?

Você acabará ficando “travado”.

Apenas ter em mente o significado de um phrasal verb e a forma como ele é escrito não é uma garantia de que você conseguirá aplicá-lo corretamente com fluência.

Para assimilar os phrasal verbs e usá-los de forma natural, é recomendado que o aluno compreenda quais partículas o compõem, compare com outros verbos semelhantes e faça exercícios de conversação utilizando sinônimos, por exemplo.

Como são usados? Praticando um pouco com os phrasal verbs

É tudo uma questão de contexto

O grande segredo é compreender que os phrasal verbs têm uma razão de ser e são aplicados a certos contextos, principalmente os mais informais. Exemplo:

Look for (procurar por algo) é um phrasal verb que pode ser substituído por explore (explorar) ou inspect (inspecionar)*

Ao conversar com seus amigos, é mais provável que você diga que estava procurando algo no seu armário (I was looking for something in my wardrobe) em vez de falar que estava inspecionando seu armário em busca de algo (I was inspecting my wardrobe for something). Simplesmente, porque soa mais natural.

Get out of bed (sair da cama) ou move up (mexer-se, ir andando) são phrasal verbs que podem ser substituídos por get up (ficar em pé, levantar da cama)*, que também é phrasal verb, mas menos informal

Da mesma forma, se estiver falando com seu irmão ou outra pessoa que more com você, pode dizer que saiu da cama ou que se “aprontou” bem tarde hoje (I got out of my bed so late today ou I moved up so late today), mas, se estiver diante de um colega de trabalho, com quem não tem muita intimidade, pode optar por falar que se levantou muito tarde hoje (I got up so late today).

Os exemplos citados foram retirados do site Thesaurus*, que é uma ótima fonte para você conferir como os phrasal verbs podem ter vários significados e diversas aplicações em contextos diferentes.

Esse site também aponta quais são os sinônimos e antônimos possíveis para esses verbos. Legal, não?

Não despreze a questão cultural

Não é uma regra que os phrasal verbs sejam todos informais. O verbo to get up (levantar) é aplicado em ambos os contextos, o formal e o informal, por exemplo.

Conforme avançar no aprendizado do inglês, entretanto, você perceberá que os grandes escritores que publicaram obras nesse idioma usam menos phrasal verbs que a linguagem que vemos nos jornais e revistas, veículos de comunicação de massa que usam uma linguagem muito mais pulverizada com phrasal verbs, gírias e outras construções vocabulares com efeitos humorísticos.

Ao conversar com um nativo sem usar phrasal verbs, ele perceberá que você é de um país estrangeiro, porque suas frases soarão muito “eruditas”, muito “certinhas”.

Você pode fazer esse teste a qualquer momento em que estiver conversando com um nativo!

Pode ser uma situação bem divertida e, claro, uma demonstração de que usar os phrasal verbs é fundamental para se inserir na cultura de língua inglesa (seja qual for o país que tenha o inglês como primeira língua oficial).

phrasal-verbs

E como surgiram os phrasal verbs? Um pouco de História

Pesquisas científicas sobre a língua inglesa concluíram que os phrasal verbs nasceram na época do Inglês Antigo, ou seja, entre o século V e meados do século XII, na região que hoje é composta pela Inglaterra e a Escócia.

Porém, foi a partir do fim do século XV, com início do Inglês Moderno, que o uso desses verbos realmente explodiu e se tornou bastante comum, muito por conta das peças de teatro que eram encenadas nas cidades.

William Shakespeare, por exemplo, era um grande fã dos phrasal verbs; com a popularidade de suas peças se tornando cada vez mais esmagadora, consequentemente mais e mais pessoas foram adotando essa estrutura sintática, deixando de lado a tendência de usar verbos compostos por uma só palavra ou mesmo de recorrer a palavras em francês (o francês era a segunda língua oficial dos territórios ingleses e escoceses no século XV).

Embora tenha sido um grande escritor, Shakespeare foi popular porque seu objetivo era adaptar tragédias e comédias gregas para entreter grandes audiências. Isso o tornou pop.

Hoje, os phrasal verbs estão disseminados por todos os países de língua inglesa, mas é bom ter em mente que nem sempre os verbos frasais americanos serão compreendidos por britânicos, por exemplo.

É muito mais recorrente que vários deles variem de país para país. Nos Estados Unidos, se você quiser que alguém preencha um recibo, pode dizer: “Please, fill out the receipt”, enquanto no Reino Unido o correto é: “Please, fill in the receipt”.

Isso não quer dizer que sua fala será completamente desconsiderada, mas o nativo perceberá que você não é natural daquele país ou não tem prática no inglês britânico.

Se o seu objetivo é fazer um intercâmbio ou morar na Inglaterra, seu foco deve ser aprender os phrasal verbs desse país; se, ao aprender inglês, você terá mais interesse na cultura americana e suas particularidades, concentre-se nos phrasal verbs americanos.

Da mesma forma que um estrangeiro que só conhece o português falado no Rio de Janeiro ou em São Paulo pode ficar um pouco perdido no Nordeste ou no Sul do Brasil por conta de expressões idiomáticas e gírias regionais, você também poderá ficar perdido se só souber inglês americano e for visitar outros países de língua inglesa.

Lembre-se disso!

Avalie a post

Leave a Reply

Your email address will not be published.