Artigos

Resistência Conservadora: Lei de Deportação para Ruanda Permanece Firme no Reino Unido

Na sequência da decisão do Supremo Tribunal Britânico de que a primeira iteração do plano de deportação para o Ruanda era ilegal, o Reino Unido aprovou agora uma lei para ressuscitar o esquema.

O governo tem agora a última palavra sobre as intervenções do TEDH (Tribunal Europeu de Direitos Humanos) graças à nova lei, que substitui uma parte da Lei Britânica dos Direitos Humanos.

E, 11 deputados conservadores emitiram votos divergentes, revelando divergências internas, embora o governo tivesse a maioria.

Como sinal de descontentamento dentro do Partido Conservador, sessenta membros do partido desobedeceram à disciplina de voto durante a votação.

Em meio às críticas do ACNUR, a iniciativa deverá chegar à Câmara dos Lordes para possíveis alterações antes de ser aprovada.

Depois de ser revelado em 2022, o plano de deportação para Ruanda foi finalmente interrompido por juízes no Reino Unido e na Europa.

Num esforço para desencorajar os migrantes de regressarem aos seus países de origem, surgiu um novo plano que estabeleceria o Ruanda como uma terceira nação segura.

Aproximadamente 30.000 pessoas cruzaram ilegalmente o Canal da Mancha em 2023, uma diminuição em relação ao ano anterior; cinco pessoas perderam tragicamente a vida numa recente tentativa de embarque.

 

Veja também:

 

Fonte: RTP NOTÍCIAS

 

Encontrou algum erro no artigo? Avise-nos.

Avalie a post

Related Posts

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *