Artigos

Tudo sobre o Simple Future: dicas e macetes para não errar mais

simple-future

O que é e quando usar o Simple Future?

Você já conhece tudo sobre o Simple Future?

Sabe como funcionam as duas estruturas possíveis que o compõem?

Neste artigo breve, você poderá tirar todas as suas dúvidas ou relembrar quais são os principais usos desse frequente tempo verbal.

Objetivamente falando, você sempre precisará do Simple Future quando quiser expressar que algo ocorrerá no futuro.

Se o sujeito da frase tiver a intenção de colocar em prática uma ação não agora, mas daqui a minutos, horas, dias, semanas ou anos, esse será o caso de recorrer ao Simple Future.

Porém, há duas formas de fazer isso: com o verbo auxiliar will + infinitivo ou com a estrutura verbo to be + going to + infinitivo.

E como você saberá quando utilizar cada uma? Veja a seguir o que determina quando usar uma ou outra opção.

Quando usar will

Você deverá usar will, que é invariável seja qual for a pessoa conjugada, quando seus planos para o futuro não forem muito específicos; quando você souber que fará algo, mas não tiver todos os detalhes dessa ocorrência.

O will carrega uma ideia de incerteza, de planejamento em aberto.

Depois dele, vem o verbo principal.

I will travel to Italy.

She will buy corn for dinner.

Nas frases acima, você pode notar que algo será feito, porém há diversos detalhes que faltam para que a compreensão seja total.

Apenas lendo cada frase isoladamente, você não sabe quando a ação irá ocorrer (hoje? Na próxima semana?), com quem ou de que maneira, não é?

O interlocutor teria de perguntar ao emissor quais serão as circunstâncias, e provavelmente o emissor não as teria, já que o uso do will indica por si só uma noção de incerteza futura.

É por isso que o will também é muito usado quando se quer fazer promessas ou expressar o desejo de que algo aconteça, mesmo que não se tenha a menor ideia de como transformar essa promessa ou esse desejo em realidade.

2023 will be a great year.

She will be a fabulous mom.

Embora as duas frases estejam no futuro, perceba que elas expressam um desejo, uma expectativa, algo que “promete” acontecer. Não há nenhuma garantia de sucesso, portanto.

simple-future

Quando usar going to

Com o going to, a coisa muda de figura.

Os planos já não são vagos: eles estão em andamento, prestes a acontecer.

Não há muito espaço para que esse planejamento seja alterado, porque houve uma ponderação seguida de uma decisão. Alguém “bateu o martelo”. O uso do verbo to be antes de going to é obrigatório.

He is going to travel to Morocco tomorrow.

I am going to buy wine for today’s dinner.

Note que, ao ler cada frase, você consegue perceber que há muito pouca probabilidade de os dois eventos não acontecerem.

Não que seja impossível, mas está implícito que, a menos que algo muito imprevisto ocorra, tanto a viagem (no caso da primeira frase) quando o jantar (na segunda frase) vão de fato se tornar realidade.

O que contribui para isso são os advérbios de tempo tomorrow e today, que explicitam quando essas ações ocorrerão.

Você verá que é muito frequente que o going to seja acompanhado por advérbios, isso não é uma coincidência.

Quer saber por quê?

Expressões comuns que acompanham o Simple Future

Para saber tudo sobre o Simple Future, você precisa ter em mente algumas expressões-chave.

Assim como o Simple Past e o Simple Present costumam estar acompanhados por advérbios de tempo que dão “pistas” sobre quando a ação ocorreu ou ocorre, o Simple Future conta com algumas palavras típicas que dão dicas sobre o tempo verbal futuro. Palavras como:

Today

Soon

Later

In an hour

Tomorrow

Next day

Next week

Next month

Next year

Another day

Another time

Eventually

In the near future

Way off in the future

Essas são apenas algumas das opções de advérbios que podem aparecer em frases que estão no futuro simples.

Ao perceber a presença de uma delas, você já saberá que a ação está orientada para o futuro.

Negativas e interrogativas no Simple Future

Até aqui, vimos tudo sobre o Simple Future, mas só sobre as afirmativas.

E se nós quisermos usar uma negativa ou uma interrogativa?

Usando will

Como o will não exige o verbo to be, a forma negativa contará apenas com a inserção do not após will, isto é, will not.

Há a opção de usar a forma contracta won’t, que é muito comum na linguagem oral informal.

A forma interrogativa também é simples e segue a mesma lógica geral dos verbos auxiliares: o auxiliar will fica no início da pergunta, antes do sujeito. Veja:

A: I will travel to Italy.

N: I will not travel to Italy.

or

I won’t travel to Italy.

I: Will I travel to Italy?

*

A: She will buy corn for dinner.

N: She will not buy corn for dinner.

or

She won’t buy corn for dinner.

I: Will she buy corn for dinner?

Usando going to

Como o going to exige o verbo to be, o acréscimo do not será após o verbo to be e antes do going to + infinitivo.

Você também pode optar pelas formas contractas, de acordo com a pessoa conjugada (isn’t ou aren’t).

Nas interrogativas, basta colocar o verbo to be, flexionado de acordo com a pessoa, no início da frase, seguido do sujeito.

O restante permanece igual a uma afirmativa.

A: He is going to travel to Morocco tomorrow.

N: He is not going to travel to Morocco tomorrow.

or

He isn’t going to travel to Morocco tomorrow.

I: Is he going to travel to Morocco tomorrow?

*

A: I am going to buy wine for today’s dinner.

N: I am not going to buy wine for today’s dinner.

I: Am I going to buy wine for today’s dinner?

Obs.: Lembre que am not não tem forma contracta no inglês formal.

Você pode usar I ain’t em vez de I am not se estiver falando com seus amigos, mas essa conjugação hoje é considerada vulgar, embora tenha sido empregada em clássicos da literatura inglesa e americana em séculos anteriores.

Avalie a post

Leave a Reply

Your email address will not be published.